O seu efeito em mim

 

TUM.
Não sei começar
Sinceramente
Não sei quando começou.

Perdi o que bateu
Admito
Mas ouvi.
Senti?

Ouvisenti aquele TUM,
Barulho baixo tão alto
Que fez baixo todo o resto.
Pequeno.

Como veio?
Porque veio?
Vem mesmo a ser importante?
Vêem?

Veio
Veio véio
Veio vindo
Mas veio e foi bem vindo.

Alojou
Confundiu
Esquentou
Incomodou

Acomodei
Pensei
Abracei
Aninhei

Como pode um broto
Já ser flor tão bela
Raízes tão fundas
Aroma tão doce?

Eu não queria jogar
Você não queria jogar
Eu apostei tudo
Ganhei por não jogar

Plantou a lua no meu céu
Mesmo sendo tão cheia de sóis
Sóis vossos
Tão nossos na vila dos lobos.

Hoje eu rio do que não podia ver
Estava nos seus olhos
Estava a lua
Dentro do sol que é você

Como a natureza veio
Veio como astro
Veio como fenômeno
Veio como um vulcão

De repente fez forte o que era fraco
Quebrou o que era duro
Esquentou o que era frio
Fez do avesso o certo

Mais uma morte em vida
Mais um nascimento em morte
Mais uma vida em frente
Mais vida na minha vida

É onomatopeia
É certeza na dúvida
É palavra nova
É questionamento

É natureza
É ciclo desconstruído
É tabu derrubado
É banca quebrada

É escrever de novo
É escrever o novo
É viver de novo
É querer te ver de novo

Não sei começar
Não sei quando começou
Não sei terminar
Porque não quero que acabe

O seu efeito em mim
Só é tão forte
Porque mim
Hoje é para você.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s